terça-feira, 12 de fevereiro de 2019

Entrecruzados lança livro e videodança documental
Produção que mescla dança, literatura, filosofia, tecnologia, fotografia e música poderá ser conferida na Galeria deCurators (412 Norte)

Dança, literatura, filosofia, música, tecnologia. Uma mistura que deu certo. Idealizado pela coreógrafa, diretora e bailarina brasiliense Laura Virgínia e pela fotógrafa e produtora Luísa Lemos, o projeto Entrecruzados partiu da ideia de misturar as artes com o avanço tecnológico da internet, que a cada dia faz mais parte da vida social e privada. Após ser apresentado e registrado ao vivo no Rio de Janeiro e na capital federal, em 2018, o projeto será lançado em formato de videodança documental e em livro no dia 22 de fevereiro, sexta-feira, às 20h30, na Galeria deCurators (412 Norte). A entrada é franca. Livre para todos os públicos.


Artistas e apreciadores vão poder conferir, no local, a dança que ganhou forma por meio de textos, poesias e música. E vice-versa, já que os textos também foram escritos, na hora, de acordo com os movimentos dos bailarinos. As apresentações, os ensaios virtuais, o processo de criação do projeto e as entrevistas com os participantes deram origem à videodança documental que será exibido.

Fotos: Daniela Paoliello 
Para coroar o sucesso do projeto, Laura Virgínia e Luísa Lemos irão ainda oferecer um livro com textos registrando todo o processo e seu resultado. O livro será distribuído gratuitamente. Quem não for ao evento mas quiser adquirir, basta solicitar pelo e-mail entrecruzadoscontato@gmail.com. A videodança documental também estará disponível pelo site: www.entrecruzados.com.br.

Entrecruzados, como o nome sugere, faz o cruzamento das artes com a tecnologia. O improviso e os encontros virtuais deram ainda um ineditismo para a performance, que teve que ser debatida à distância, já que os participantes moram em locais distintos. Os encontros por meio da internet permitiram às dançarinas brasilienses Laura Virgínia e Soraia Silva se encontrarem com a dançarina carioca Mariana Pimentel. O filósofo Hilan Bensusan deixou ainda suas conotações e percepções sobre os improvisos com base no que viu e sentiu. Para complementar, o escritor português Gonçalo M. Tavares participou dos ensaios virtuais e das apresentações com o seu livro O Atlas do Corpo e da Imaginação.


“O interessante é que na época dos ensaios o Gonçalo estava no Japão. Então a internet possibilitou nossas reuniões, que eram muito mais para traçar um roteiro. As impressões foram registradas na hora.”, explica Laura Virgínia, feliz com o resultado e interação do público com o projeto. As apresentações tiveram casa cheia no Rio de Janeiro e em Brasília.

A temática abrangeu desde materialismo e subjetividade, além de debater questões de gênero. As bailarinas fizeram solos baseados nos conceitos do transcontinental, do estrangeirismo e também performances espelhadas em elementos da natureza.

 “Quando você escuta um texto ou uma poesia, qual o impacto emocional imediato? Como isso transparece no corpo? Foi este corpo carregado de sentidos que deu origem à dança”, coloca Laura.

Entrecruzados é uma realização da Secretaria de Cultura do Distrito Federal com o patrocínio do FAC – Fundo de Apoio à Cultura.


Sobre o projeto Entrecruzados
O que fica após a efemeridade da cena? Processos criativos contínuos, registros, rastros de documentação e uma memória de inquietações. Entrecruzados nasceu do desejo de registrar a efemeridade da criação ao mesmo tempo da sua composição e realização. Registrar o momento de fruição na criação de uma obra aberta, em um espaço pulsante de encontro aberto e informe. E nesse mesmo instante poético, criar o documento, que materializa a memória.

No período de seis meses (2018), o projeto Entrecruzados realizou três ensaios virtuais, três ensaios gerais presenciais, dois eventos cênicos-poéticos (um no Centro Coreográfico do Rio de Janeiro e outro no Centro de Dança do DF), um encontro virtual pós-presencial, um vídeo performance documental, um livro e um site para livre acesso a artistas, pesquisadores e público interessado. Agora, se prepara para sua reta final, onde exibirá um livro e a videodança documental na Galeria deCurators (412 Norte).

Ficha Técnica:
Direção Geral: Luísa Lemos
Literato: Gonçalo M. Tavares
Filósofo e performer: Hilan Bensusan
Bailarinas: Laura Virgínia, Mariana Pimentel e Soraia Silva
Vídeodança documental: Luísa Lemos
Fotografia: José Palmieri (DF) / Daniela Paoliello (RJ)
Cinegrafista: Gustavo Serrate (DF) / Fabiano Aruaruna (RJ)
Técnico de som e luz (DF): Emmanuel Queiroz
Técnico de som (RJ): Erick Santos
Técnico de luz (RJ): Eduardo Alves
Design Gráfico: Fabiano Aruaruna
Webdesigner: Gustavo Lins
Coordenação de Produção: Juana Miranda
Coordenação Administrativa: CHANG Produções
Assessoria de Imprensa: Baú Comunicação Integrada (DF) / Joyce Lima (RJ)
Redes Sociais: Luciana Marques
Intérprete de libras: Thalita Araújo

 Agradecimentos: Diego Dantas (Centro Coreográfico do Rio de Janeiro), Equipe Conexões Criativas (Centro de Dança do DF), Casa 69, Adriana de Fátima Barbosa Araújo e Espaço Íthaka

Serviço
Projeto Entrecruzados lança vídeo dança documental e livro
Data: 22 de fevereiro de 2019 (sexta-feira)
Local: Galeria deCurators (412 Norte)
Horário: 20h30
Entrada gratuita
Classificação livre
Informações: entrecruzadoscontato@gmail.com

Todos os conteúdos aqui publicados têm como objetivo a divulgação dos clientes da Baú Comunicação Integrada, portanto, podem ser reproduzidos em jornais impressos, sites, blogs, televisões, rádios e demais veículos de comunicação sem aviso. Pedimos, contudo, que creditem os fotógrafos ao usar as imagens de divulgação. Em caso de dúvidas, não hesite em entrar em contato conosco.

Clipping

A Baú Comunicação Integrada oferece aos seus clientes no final do contrato um clipping. Podemos dizer que o clipping é um processo que consiste no monitoramento constante de matérias jornalísticas, para que sejam coletadas aquelas que fazem menção a uma determinada empresa. Com essas informações devidamente organizadas, é possível elaborar relatórios que auxiliam a empresa a disseminar informações de forma mais planejada, além de serem fundamentais para toda a gestão da informação. Atualmente, as empresas que oferecem esse serviço disponibilizam uma ampla cobertura que pode ir desde os sites e jornais impressos até as rádios e os canais de televisão, isso sem contar no monitoramento de opiniões dos leitores nessas mídias. Dessa forma, é possível que a empresa tome conhecimento de qualquer tipo de veiculação relacionada a ela e acompanhe o desempenho das ações de seu assessor. Fonte: Vinicius Santos, do Dino Blog



Contato
Clara Camarano e Michel Toronaga
61 4101 - 1828 / 1857
Brasília - DF